Mauro Knijnik

“Em 1983 fui convidado para trabalhar na vice-presidência industrial do Grupo Iochpe pelo sr. Ivoncy, meu amigo pessoal. Um dos motivos para esse convite foi a necessidade de a Iochpe expandir sua área industrial. Até aquele momento a empresa só tinha duas atuações nesse sentido: uma sociedade com o Grupo Klabin/Votorantim para comprar uma empresa de celulose no Rio Grande do Sul chamada Riocell e uma pequena fábrica de colheitadeiras localizada no município de Santa Rosa (RS). Como eu tinha experiência na área industrial, porque o BRDE só financiava negócios na área industrial, fiquei responsável por essa área dentro da Iochpe.”

 

“Nos anos 1980 obtivemos primeiramente uma licença da HP para produzir outro produto que pretendíamos lançar no mercado, maior que o inicial. Foi um sucesso e uma parceria muito boa no campo de licenciamento. Essa parceria evoluiu: assim que a lei brasileira permitiu, a HP nos procurou propondo ser nossa sócia. Essas negociações foram conduzidas por mim, houve uma empatia muito grande entre as práticas executivas do grupo Iochpe e as práticas do grupo HP, e aí fizemos um casamento. Foi um casamento muito bom, enquanto durou. Terminou quando a legislação brasileira deu abertura total para as empresas de informática. A HP queria fazer grandes expansões no Brasil e tinha interesse em comprar a nossa parte.”

 

“Anteriormente a isso nós tivemos o Banco Iochpe, que fez uma associação com o Bankers Trust conduzida por Iboty Ioschpe, que era o homem da área bancária. Essa sociedade durou algum tempo (cerca de dez anos) e depois chegamos à conclusão de que a tendência do Grupo Iochpe era na área industrial mesmo. O Bankers Trust queria fazer grandes expansões no Brasil, então poderia haver conflito de interesses (eles querendo crescer como banco e nós como indústria). Eu conduzi também essa negociação para vender a nossa parte. A Iochpe é um Grupo que está sempre atento a suas capacidades e ao momento oportuno de entrar e de sair de uma negociação, de identificar uma boa oportunidade de crescimento.”