Iochpe-Maxion e o segmento industrial agrícola

Um dos marcos que representa o início do foco do Grupo Iochpe no segmento industrial foi a aquisição da Massey Fergusson Perkins S.A., ocorrido nos anos 1980.  

Atuando no Brasil desde 1937, a Massey, empresa de origem canadense, foi nomeando representantes em diversas cidades brasileiras. Suas primeiras colheitadeiras, importadas da matriz, inauguraram a colheita mecanizada no país. 

Desde 1956 o Grupo Iochpe já mantinha relacionamento com a Massey, quando Salomão Ioschpe conseguiu representação para vender tratores da marca na cidade de Porto Alegre. A revenda chamava-se Auto-Agrícola, e contribuiu para o grande desenvolvimento da agricultura na região Sul do País durante o período de 1950 e 1960.  

A produção da Massey cresceu vigorosamente até meados dos anos 1970. Em 1976 atingiu recorde de 30.478 unidades (das quais 1.716 colheitadeiras), correspondendo a 49% da produção nacional. Porém, com a crise econômica generalizada que o Brasil enfrentou após o fim do chamado “milagre brasileiro”, houve retração da produção agrária e o fim de investimentos no setor. A demanda da Massey diminuiu fortemente. Em 1983 a produção atingiu 9.241 unidades fabricadas, apenas 30% de seis anos antes. 

Em meio à crise, buscando racionalizar suas operações no Brasil, a matriz canadense promoveu em 1980 a união dos dois principais negócios no país – Massey e Motores Perkins –, formando a Massey Ferguson Perkins do Brasil S.A., e passou a buscar parceiros nacionais para viabilizar novos investimentos, sobretudo via BNDES. 

O Banco de Investimentos Iochpe, um dos braços financeiros do Grupo Iochpe, foi, a princípio, contratado para analisar a situação da Massey. A diretoria do Grupo vislumbrou ali um enorme potencial de diversificação das atividades do Grupo Iochpe, que fortaleceria de maneira definitiva a atuação da Companhia no segmento industrial (em 1978 o Grupo Iochpe já havia adquirido a Indústria de Máquinas Agrícolas Ideal, com unidade em Santa Rosa, Rio Grande do Sul). Com base nesta estratégia, foi adquirido o controle acionário da Massey em 1983 (57,3% do capital da empresa), sendo alterada sua razão social para Massey Perkins, em 1984. 

Já no ano seguinte os resultados negativos se reverteram. Mesmo em um cenário de crise que caracterizou os anos 1980, sendo chamada de “década perdida” por alguns economistas, o Grupo Iochpe conseguiu racionalizar as finanças da empresa, que gradativamente foi se recuperando. Em 1989, finalmente, foi adquirido a totalidade do controle acionário da Massey Perkins, entrando o Grupo Iochpe em uma nova fase de sua história, com a criação da Maxion, que se transformou em sinônimo de modernidade e confiabilidade no setor de autopeças e no ferroviário.